Saiba para que as proteínas servem e sua importância para o organismo

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram

Saber para que as proteínas servem, é importante para cuidarmos da saúde de maneira correta, garantindo o aporte de nutrientes necessários ao bom funcionamento do organismo. Trata-se de moléculas orgânicas formadas a partir de um conjunto de aminoácidos, responsáveis pela reparação e crescimento dos tecidos, como músculos, pele, cabelo, entre outros.

Além disso, essas substâncias ajudam na produção de hormônios, enzimas, anticorpos e neurotransmissores. Também agem na reposição do gasto energético e no transporte de nutrientes para o corpo, fazendo com que os aminoácidos cheguem prontos ao nosso organismo, evitando a intoxicação hepática ou renal. Continue a leitura para saber mais!

O papel das proteínas no organismo

Não existe processo biológico sem a participação das proteínas, pois além de agirem ativamente no conjunto de reações químicas no organismo, muitas células também são compostas por essas substâncias.

Há diversos tipos de proteínas e cada uma desempenha funções essenciais para o organismo, como:

  • albumina — presente no ovo de galinha, com a função de nutrir o embrião;
  • anticorpos — agem na defesa do organismo contra vírus, bactérias e outras substâncias nocivas;
  • fibrinogênio e trombina — atuam na coagulação, controlando a perda de sangue em ferimentos;
  • globina — compõe a molécula de hemoglobina;
  • hemoglobina — transporta o oxigênio para os tecidos;
  • insulina — responsável pela regulação das taxas de glicose no sangue;
  • proteínas estruturais — sustentam a estrutura de tecidos, como a queratina (cabelos, unhas e pelos), colágeno (compõe a cartilagem), e a elastina (na pele).

A importância das proteínas para o organismo

Além de serem essenciais para o perfeito funcionamento do organismo, as proteínas são especialmente importantes para os praticantes de atividade física, já que elas auxiliam na reposição da reserva de glicogênio no fígado e nos músculos, que são muito utilizados durante os exercícios.

A maior absorção de proteínas acontece até duas horas após uma atividade física, auxiliando na recuperação pós-treinos e potencializando os resultados, com ganho de massa magra e definição dos músculos. Veja, a seguir, como as proteínas agem nos processos orgânicos e sua importância em cada um deles.

Produção de massa muscular

Para que o músculo possa crescer é preciso, além da prática de atividade física regular, consumir quantidades adequadas de proteínas de boa qualidade, como as que podem ser encontradas em alimentos de origem animal, como carnes, ovos e alguns suplementos.

Produção de anticorpos

Sem a ingestão adequada de proteínas, o sistema imunológico enfraquece deixando o organismo suscetível a doenças e infecções. Em sinergia com outros nutrientes, como zinco, selênio e ômega-3, elas potencializam os efeitos para fortalecer a proteção do organismo.

Manutenção da pele e dos cabelos

As proteínas participam ativamente na formação do colágeno, a substância que dá firmeza à pele e previne marcas de expressão e rugas. Ela também forma a queratina, principal componente dos cabelos, deixando-os saudáveis e bonitos.

Equilíbrio de hormônios

As proteínas são responsáveis por equilibrar os hormônios. Assim, alguns problemas como a Síndrome dos Ovários Policísticos, ansiedade e estresse podem ser provocados por alterações hormonais, podendo indicar baixa quantidade da substância no organismo.

Manutenção do sistema nervoso

Alguns neurotransmissores como a adrenalina e a acetilcolina são formados por proteínas. Eles são responsáveis por transmitir impulsos nervosos que geram as emoções, pensamentos e comandos para o perfeito funcionamento do organismo.

Recuperação de ferimentos e cirurgias

As proteínas são a base para a formação de novos tecidos, sendo fundamentais para cicatrizar feridas e cortes. Isso porque elas compõem vasos sanguíneos, células, tecido conjuntivo, pele e colágeno. Por isso, é importante ter um consumo adequado, principalmente em casos de cirurgias e transplante de órgãos.

Transporte de oxigênio

Os glóbulos vermelhos, que são as células responsáveis pelo transporte de oxigênio no sangue, são compostos por proteínas. Dessa forma, um baixo consumo dessas substâncias pode causar problemas como fraqueza muscular, anemia, palidez e indisposição.

Fornecimento de energia

Junto das gorduras e carboidratos, as proteínas também produzem energia para o organismo e regulam a glicemia, sendo especialmente úteis em dietas pobres em carboidratos.

Manutenção da saúde das articulações

As articulações são compostas por tendões e necessitam de uma grande quantidade de colágeno, já que ele serve de amortecedor entre os ossos, evitando o surgimento de dor provocada pelo desgaste e atrito entre eles.

Como o colágeno é formado por proteínas, elas também são fundamentais para a saúde das articulações e prevenção de lesões durante a prática de exercícios físicos.

Digestão e absorção dos alimentos

As enzimas digestivas e o suco gástrico são compostos por proteínas, responsáveis pela quebra dos alimentos, que são transformados em partículas menores para serem absorvidos pelo intestino. As células do intestino também têm transportadores formados por proteínas, que atuam como receptores dos nutrientes digeridos.

As quantidades necessárias de proteínas

Diversos estudos já demonstraram que pessoas com baixa ingestão de proteína apresentam maior perda óssea e de massa muscular magra. No entanto, em excesso, ela pode provocar danos ao organismo, sobrecarregando os rins e desenvolvendo doenças cardiovasculares, como a aterosclerose.

Por isso, o ideal é manter uma dieta equilibrada, considerando que a quantidade diária a ser consumida, varia de acordo com o peso da pessoa e com a atividade física que ela pratica, conforme comentamos a seguir:

  • não praticantes de atividades físicas — 0,8 g de proteína por kg de peso corporal;
  • praticantes de atividades físicas leves — precisam de 1,1 a 1,6 g de proteína por kg de peso corporal;
  •  praticantes de musculação — necessitam de 1,5 a 2 g de proteína por kg de peso corporal.

Na prática, isso significa que uma pessoa que faz musculação e pesa 70 kg, precisa consumir 105 g a 140 g de proteínas, distribuídas ao longo do dia para gerar um bom resultado de produção e manutenção de massa muscular.

A melhor forma de obter proteínas

As proteínas podem ser encontradas em alimentos como carnes, ovos, peixes e derivados do leite. Elas também podem ser obtidas em produtos de origem vegetal, como feijão, soja, gergelim, amendoim e lentilha. Além disso, a alimentação pode ser complementada por suplementos, como:

  •  caseína — contém aminoácidos, como a glutamina, que ajuda no aumento muscular, e a arginina, que é percursora da liberação do hormônio do crescimento (hGH);
  • albumina — clara de ovo desidratada, rica em aminoácidos essenciais (BCAAs) que aumentam a energia e ajudam na reconstrução muscular;
  • soja — fonte de proteína vegetariana, que contém glutamina, auxiliar na recuperação pós-treino;
  • whey — proteína obtida do soro do leite, durante o seu processo de transformação em queijo, contendo alta concentração de aminoácidos essenciais;
  • hidrolisada de carne — ideal para intolerantes à lactose, essa proteína oferece todos os benefícios da carne e contém 9 aminoácidos essenciais, creatina, glicina e metionina.

A escolha do tipo de proteína deve ser feita com base nas necessidades individuais, com orientação médica e obtidas a partir de fornecedores idôneos e confiáveis, como a Central Nutrition, que garante a qualidade e a pureza dos seus produtos.

Como vimos, é importante saber para que as proteínas servem, já que elas são partes essenciais para o bom funcionamento do organismo. Nesse sentido, é importante manter o seu consumo de maneira equilibrada, com base em orientações especializadas, para garantir a saúde e a qualidade de vida.

Você também pode gostar