Serotonina baixa: conheça os efeitos no organismo

serotonina baixa

Compartilhe

Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhar no telegram

A serotonina é um neurotransmissor — substância química que auxilia na transmissão de sinais de uma região do cérebro para a outra — que promove a sensação de bem-estar. Por outro lado, a serotonina baixa provoca diversos malefícios, como mau-humor e irritabilidade.

Desse modo, é importante evitar a falta dessa substância, para que assim ela continue agindo eficientemente na regulação do humor e do sono, na coagulação do sangue, na movimentação intestinal e na função sexual.

Devido à sua importância para o organismo humano, neste artigo, vamos abordar a relação da serotonina com o aminoácido triptofano, os principais efeitos da serotonina baixa e como tratá-la. Continue a leitura para saber mais sobre o assunto!

Qual é a relação entre a serotonina e o aminoácido triptofano?

Conhecida como um dos hormônios da felicidade e do prazer, a serotonina serve para conduzir impulsos nervosos de um neurônio para outro. Para a sintetização desse neurotransmissor, existe um aminoácido essencial que é o triptofano, considerado o único precursor da serotonina.

Ele não é produzido pelo organismo humano, então a sua absorção ocorre por meio de alimentos, principalmente aqueles ricos em proteína. Então, se você não consumir alimentos que contenham esse aminoácido, ocorre uma queda na produção da serotonina.

Com o nível baixo da substância, é possível que aconteça o desenvolvimento de uma série de problemas causados pela serotonina baixa. Por isso, é recomendado a ingestão diária, em pequenas porções e mais de uma vez ao dia, de alimentos que tenham o aminoácido triptofano, como:

  • queijo;
  • carnes magras;
  • castanhas;
  • cereais;
  • chocolate amargo;
  • abacaxi;
  • banana.

Quais são os efeitos da serotonina baixa?

A serotonina baixa é causada por estresse e alimentação inadequada. No primeiro caso, acontece o aumento do cortisol, que provoca a diminuição do processo químico no cérebro, afetando a produção de serotonina.

Já em relação à alimentação, comidas ricas em açúcares e farinhas processadas aumentam a produção de bactérias anaeróbicas, que alteram a flora intestinal e prejudicam a absorção do triptofano.

Com isso, surgem os efeitos da serotonina baixa, provocando baixa qualidade de vida. A seguir, confira os principais deles.

Mudança no estado de ânimo

Como dissemos, a serotonina é um hormônio que promove a sensação de bem-estar. Portanto, se os níveis dela estiverem baixos no organismo, isso provoca alterações no humor, gerando mudanças no estado de ânimo, como irritabilidade, mau-humor, agressividade e ataques de raiva ou choro.

Alteração do desejo sexual

Já que a serotonina está envolvida com a função sexual, a sua baixa concentração favorece alterações na libido. Por isso, é possível que a pessoa tenha mais vontade de ter relações sexuais, porém, menos disposição para se conectar emocionalmente.

O contrário também acontece, ou seja, baixo desejo sexual. Além disso, a serotonina baixa pode afetar a capacidade física durante o ato, causando a ejaculação precoce e dificuldade para atingir o orgasmo, por exemplo.

Declínio da cognição

Esse neurotransmissor apresenta papel importante na cognição. Por isso, quando está no nível ideal, melhora a capacidade cognitiva e, até mesmo, auxilia a compensar quem sofre com o funcionamento cognitivo limitado.

Então, caso você sofra com serotonina baixa, pode surgir dificuldade de aprendizado e problemas com a consolidação da memória.

Desregulação do sono

Um dos sintomas mais evidentes da falta da serotonina no corpo é a desregulação do sono. Isso acontece porque ela tem papel fundamental no estado de vigília do cérebro, sendo a substância que nos deixa em alerta.

Sendo assim, a serotonina está diretamente ligada à melatonina, que é o hormônio do sono. Caso a sua produção não esteja suficiente no organismo, quem sofre com o problema pode sentir mais sono e, ainda assim, não conseguir dormir e continuar dormindo devido à insônia.

Falta de energia

A ausência desse neurotransmissor no organismo também promove a falta de energia, o que pode causar o cansaço, fadiga e apatia, lembrando que esses sintomas ainda podem levar para quadros de depressão. Isso ocorre porque a serotonina tem um papel importante na produção de energia.

Má digestão

Por auxiliar na transmissão de informações entre o cérebro e o sistema digestivo, a ausência de serotonina pode resultar na má digestão. Com isso, pode acontecer o desenvolvimento da Síndrome do Intestino Irritável (SCI).

Como tratar esse problema?

Como a baixa concentração desse neurotransmissor traz diferentes malefícios para o organismo humano, é importante evitá-la. No entanto, nem sempre isso é possível, pois a serotonina já pode estar ao nível baixo.

Então, para melhorar a concentração de serotonina no corpo, é possível adotar diferentes medidas. Veja quais são elas a seguir:

  • alimentação – como dissemos, é fundamental ingerir diariamente alimentos que contenham triptofano e evitar aqueles que sejam ricos em gordura saturada e açúcares simples;
  • exercícios físicos: a prática de atividades físicas diariamente auxilia no aumento da serotonina, reduzindo sintomas como mau-humor e irritabilidade, além de beneficiar o metabolismo e a autoestima;
  • técnicas para a redução do estresse – como estamos propícios a receber estímulos de estresse diariamente, é importante adotar técnicas que reduzam esse estado, como meditação;
  • exposição ao sol – tomar sol diariamente, de cinco a trinta minutos, antes das 10 h e depois das 16 h, favorece não apenas a absorção de vitamina D como também a produção de serotonina;
  • sono regular – cuidar do sono significa descansar bem e dormir pelas horas suficientes;
  • suplementos – existem suplementos alimentares que têm o triptofano na composição, auxiliando assim na produção de serotonina;
  • medicamentos – em alguns casos, não basta adotar hábitos diários como os que citamos anteriormente, sendo necessário também aderir a medicamentos, conforme a recomendação médica. Os mais utilizados são os inibidores seletivos de serotonina (ISRSs), como escitalopram, fluoxetina e paroxetina.

 

Aliando essas recomendações, de acordo com a indicação profissional, é possível tratar a serotonina baixa e passar a usufruir dos benefícios que ela promove. Com isso, caso você sofra do problema, começará a ter o sono regular, sensação de bem-estar e função sexual estável conforme aderir aos tratamentos necessários. Por isso, ao sentir os sintomas que relatamos, não deixe de procurar ajuda médica.

Gostou deste conteúdo? Então, siga as nossas redes sociais para saber mais sobre saúde! Estamos no Facebook e no Instagram.

Dr Rayane Pimentel

Dr Rayane Pimentel

Nutricionista
Nutri Advisor - Central Nutrition
@rayannepimentel.nutricionista

Você também pode gostar